Todo mundo já ouviu falar disso, mas quem realmente consegue? Estar no momento presente é fundamental se o nosso desejo é evoluir como seres humanos, pois o momento presente é o único lugar onde realmente conseguimos essa conexão com nós mesmos, com a experiência interna de paz e plenitude, a qual chamo “amor-consciência”. O amor-consciência é a coisa mais natural do mundo: é o amor incondicional que existe dentro de cada um, uma experiência que é mantida e vai se expandindo quando mergulhamos dentro de nós mesmos. Não é uma experiência estranha nem etérea. É algo muito concreto e natural; você provavelmente já a experimentou em alguns momentos da vida, talvez quando brincava com um bebê ou em momentos de criatividade, vendo o pôr-do-sol ou meditando.

O amor-consciência vive no momento presente, por isso está na hora de você parar de vagar entre o passado e o futuro – eles já tomaram muito do seu tempo, certo? Está na hora de você prestar atenção no aqui e agora – no presente, onde a vida realmente acontece.

Todos sabemos que precisamos estar presentes, mas como? Às vezes conseguimos, mas as preocupações, arrependimentos, distrações e obsessões são tão comuns que novamente nos distraímos. Hoje vamos aprender uma poderosa ferramenta que irá nos ajudar a criar um novo hábito: o hábito de estarmos presentes, ancorados profundamente dentro de nós mesmos. Então, podemos começar a viver nossas vidas a partir de um espaço interno de paz e estabilidade, agir e responder aos desafios do dia a dia com alegria, compaixão e intuição, em vez de nos perdermos no “fazer”.

Neste curso vamos aprender ferramentas que chamo de “facetas”. Para aprender sobre isso, convido você para assistir o vídeo a seguir, que faz parte do meu filme “Porque caminhar se você pode voar?” . Quando terminar de vê-lo, continue a ler.

Bem, agora temos a primeira faceta:

Louvor ao amor por este momento em sua perfeição.

Vamos agora praticar esta faceta durante 20 minutos da seguinte maneira:

1. Sente-se confortavelmente e feche os olhos. Permita que os pensamentos venham e passem suavemente. Não tente pará-los, não tente entrar num estado de não-mente. Ao invés disso, deixe vir naturalmente o que quer que seja.

2. Agora pense: Louvor ao amor por este momento em sua perfeição. Pense sem fazer esforço algum, como se este fosse um pensamento como outro qualquer, sem se concentrar nem tentar entender o seu significado.

3. Enquanto você pensa a faceta, coloque a atenção na área do seu coração.

4. Depois de ter pensado a faceta, deixe um espaço e faça uma pausa. E ai repita a faceta, colocando a atenção no coração e novamente deixando um espaço.

5. Continue assim durante vinte minutos. Pode dar uma olhada no relógio para controlar o tempo.

Não pense a faceta repetidamente, sem interrupção, como se fosse um mantra. Sempre deixe um espaço de uns segundos entre cada repetição. É possível experimentar paz e silêncio nessas pausas, porém também é possível que venham pensamentos. Às vezes pode acontecer de você esquecer a faceta, mudar as palavras ou o ponto de atenção. Se isso acontecer, assim que perceber, pense novamente a faceta como foi explicado acima. Tudo que acontece naturalmente durante a prática é perfeitamente normal. Apenas lembre-se: quando perceber que não está pensando a faceta, escolha pensá-la novamente. Agora vamos fechar os olhos e praticar por 20 minutos.

Quando estiver pronto…

Agora você já pode se beneficiar do poder das facetas. É necessário que se comprometa a praticá-las regularmente. Senão será como querer emagrecer, sem nunca ir à academia. Da mesma forma, se não praticar as facetas, não vai conseguir obter resultados. O ideal é que pratique uma hora por dia com os olhos fechados. Pode dividir isso em dois blocos de meia hora ou três blocos de vinte minutos cada. A coisa mais importante é praticar. Se um dia você não tiver tempo de praticar por uma hora, será melhor fazer um tempo mais curto do que não praticar. O processo de prática das facetas chama-se unificação.

Há duas maneiras de unificar: com os olhos abertos e e com os olhos fechados. Unificar com os olhos fechados é a forma mais intensa depraticar, pois o leva à profundidade da experiência do amor-consciência.

Durante o dia, você pode pensar uma faceta com os olhos abertos sempre que quiser, em qualquer situação. Para maximizar os resultados, pense uma faceta sempre que se lembrar: enquanto estiver escovando os dentes, na academia malhando, assistindo televisão ou esperando na fila do banco. Toda vez que você usar as facetas, estará trazendo sua atenção totalmente para o momento presente e se conectando com o amor-consciência. Sempre que estiver no momento presente, as projeções e medos que obscurecem a sua janela de percepção estarão se dissolvendo. Você começará a ver tudo com novos olhos.

Enfoque do dia: Reivindicação da Inocência da infância.

As crianças estão mais avançadas do que os adultos na área da felicidade – elas abordam todas as coisas como se estivessem fazendo tudo pela primeira vez, completamente livres do que aconteceu antes. Elas veem mágica e maravilha em tudo – você pode imaginar o alívio que seria se pudéssemos retornar a esse estado?
Quando eu era criança, eu apenas era. Não estava me observando ou medindo as reações das pessoas ao meu redor, não estava tentando manipular, seduzir ou controlar de alguma forma para saber se eu era suficiente. Não tinha idéia do que significava ser ridícula ou séria: se estava feliz, ria, se estava triste, chorava. Não questionava minhas ações. Estava sempre no estado de ser, apenas sendo. Carregando a bagagem acumulada durante a vida adulta, com as nossas opiniões, medos e percepções distorcidas, perdemos a espontaneidade.

Conforme avança no seu dia, você pode ir continuamente limpando a tela da sua mente e assim voltar a ver as coisas como as crianças: sem expectativas ou recriminações. Tente ver cada pessoa como se fosse pela primeira vez. Quando um mendigo pedir uma moeda, dê um sorriso em vez de refutação – talvez seja isso a única coisa que ele realmente queira. Quando sua mãe tediosa telefonar, não responda antecipando às suas queixas. Quando o seu chefe te chamar para o escritório, não espere automaticamente por uma bronca – talvez lhe dará um aumento! Estamos sempre em guarda, à espera de que algo dê errado. Em vez disso, adote a inocência limpa e espontânea de uma criança e abra-se para receber com alegria.

Até mais!