Você deve chegar a um ponto no qual possa ver que seu intelecto é uma proteção, e que em algum momento terá de admitir isso e render-se.

Porque o intelecto está sempre defendendo uma ideia, e a consciência está muito além das ideias, está baseada no amor incondicional. O intelecto não pode perceber a felicidade, a apreciação, o amor incondicional como uma força permanente.

Quando o intelecto não pode entender algo, ele vai negá-lo porque não pode demonstrá-lo. Porque dentro do intelecto, dentro da inteligência você se sente seguro mas dentro do desconhecido não pode haver controle. Assim é que em algum ponto existe uma inteligência mais elevada questionando: “toda minha vida tive isso, mas pode haver algo mais” Ou mesmo quando você percebe:” sou intuitivo, tenho outra voz, tenho outra claridade”, não tem de estar associada com seu intelecto.E então, logo vai entrar na capacidade de um cérebro maior que é o coração, a vibração do coração que te conecta com tudo, com todos.

Nós, seres humanos, atravessamos muitas coisas, muitas desilusões, muitos ressentimentos, muitas decepções, e finalmente começamos a nos dar conta que estamos aborrecidos. Porque compramos um sonho e não funcionou! Fizemos tudo aquilo que se supunha que deveríamos fazer e não funcionou, e não somos felizes por isso estamos aborrecidos. Existe um milhão de razões pelas quais você pode estar aborrecido agora, mas o mais importante é que aprenda a perceber e sentir tudo isso, e que o remova, e depois você vai começar a encontrar a felicidade interna.

Possivelmente você tem abandonado a si mesmo, pondo a todo mundo antes de você. Isto parece familiar? De certo você deve estar muito aborrecido.

A vida é muito curta necessitamos brincar esse jogo em 100% porque se permanecemos com medo, apego e vícios, no fundo estamos assustados, não estamos vivendo de verdade. Mas quando começamos a desafiar-nos a ser mais, a experimentar mais, a empurrar os limites, a soltar nossas velhas crenças que já não nos servem, então começamos a encontrar a felicidade e também a importância de ser vulnerável. A linguagem do coração é o ser vulnerável, é o estar aberto, e o dar. E quando nos amamos a nós mesmos, damos amor ao mundo. Sem nos amar, não podemos dar amor ao mundo. O amor-consciência é uma experiência interior de paz, de felicidade e de confiança. É a conexão com a sua própria essência verdadeira.

Quando éramos criança vivíamos nesse espaço de amor incondicional e consciência do momento presente, e o Sistema que ensino é justamente para cultivar isso.E o que não me permite experimentar?. O estresse, o medo, as limitações, toda a minha atenção posta no externo buscando a aprovação dos outros, buscando o amor. E num determinado momento de sua vida começará a ir para dentro e é aí onde está o que você procura. Está dentro de si! E o temos buscado em lugares equivocados.

Pin It on Pinterest

Shares
Share This