Estamos tão preocupados com a nossa imagem: que todos gostem da gente, cuidando para não ofender ninguém, por fazer o correto, dizer a coisa certa, nos vestir com a melhor roupa, ter o melhor carro, morar no lugar de moda, enviar os nossos filhos para a escola correta. Botamos tanta pressão em nós mesmos para fazer o correto!

Como saber se estamos fazendo as coisas direito? Vai ser quando nossa felicidade não depender do exterior! Se aprendemos a aperfeiçoar a plenitude dentro de nós, descobrimos o segredo de uma felicidade autêntica e duradoura.

Observe as suas reações quando se sente aprovado ou desaprovado. Quando alguém o aprecia, isso faz aumentar a sua confiança? E se recebe uma crítica construtiva, ela aumenta sua insegurança? Talvez não dê para ver isso na superfície, talvez você mostre indiferença. Porém, se as opiniões dos outros jogam você de um lado para o outro, esta“indiferença” é só outra capa da máscara que esconde sua necessidade extrema de aprovação.

A única maneira de se libertar da necessidade de validação externa é dando a si mesmo aquilo que procura nos outros: amor, aceitação, alento, apoio.

Quando aceitamos que erramos, podemos mudar o jeito que interatuamos no entorno com as situações, e nos tornar as ações e comportamentos que desejamos ver no mundo. Assim, podemos alcançar a verdadeira responsabilidade: ser felizes, ao invés de ficar constantemente reclamando e esperando que nosso mundo nos dê satisfação.

Pensamos que a responsabilidade é renunciar a uma existência despreocupada. Mas se quisermos ser cidadãos globais, a nossa responsabilidade é encontrar a plenitude interior e poder dar ao nosso mundo, no lugar de tomar dele para apaziguar nossa sede insaciável por mais.

Quando aprendemos a estar no momento presente, a ser transparentes, excelentes, íntegros, focados em dar, encontramos a plenitude que enche nosso vácuo interior, pois quando sentimos alegria e paz, estamos dando. Desse jeito contribuímos ativamente com uma sociedade fundamentada na plenitude interior, aliada de cidadãos que servem para um bem global, desde um lugar de abundancia interior.

Você define quem ser em cada momento. Não importa se for pintor, administrador, piloto de avião, professor, político, fazendeiro… você é definido pelo que é, não pelo que faz. Quando começamos a ver a vida desse jeito, ela naturalmente vira mais íntegra e cuidadosa, e menos rígida, e auto demandante.

Até a próxima semana!

Será que você é o Par Perfeito?
BAIXE AGORA O SEU GUIA GRATUITO!
8 + 1 dicas para alcançá-lo

Guia gratuito par perfeito

Artigo feita a partir de:Somostodosum