Quando estou ensinando e falando sobre nosso programa, sempre explico aos novos praticantes os comportamentos são habituais, quão fortemente nossos hábitos estão embutidos em nossas mentes e em nosso subconsciente.

Respostas automáticas

Vou dar um exemplo: se pensarem bem, verão como têm feito as mesmas coisas por toda a vida. Isso acontece porque somos robóticos. Talvez nossos comportamentos não nos sejam mais úteis, mas, de tão profundamente arraigados, geram respostas automáticas.

Quando escolhemos o amor

Acho que uma das coisas que mais amo neste Sistema é que ele é altamente viciante, pois, por causa do efeito que tem na mente – a coerência perfeita que causa entre os hemisférios do cérebro – torna-se mais natural escolher praticá-lo, e cada vez que o escolhemos, vamos para dentro, desprogramando a matrix dos comportamentos repetitivos baseados no medo.

Reprogramando a mente

Quando o programa trava, o computador passa por instabilidade e, às vezes, leva tempo para se ajustar e aceitar o novo programa e abrir mão do que é redundante. Mas o Sistema é amor incondicional, e o vírus do amor se espalha rapidamente, porque é realmente a natureza e a grandeza de quem somos.

Sempre uso minha experiência australiana como exemplo. Toda minha vida dirigi na Austrália. Lá, quando eu atravesso a rua, os carros vêm na direção oposta à que vêm na América. O volante está do lado oposto, tudo está do lado oposto. Eu dirigi muito na Austrália, centenas de milhares de quilômetros, então ainda é muito comum para mim, ao cruzar a rua, olhar na direção oposta.

Olho na direção errada porque tenho um profundo desejo kamikaze de me aniquilar? Ou porque é um costume robótico e natural para mim? Que pergunta! Obviamente não quero morrer, mas meu comportamento desafia essa conseqüência trágica.

Quando não estamos conscientes

Então:

Por que farei constantemente algo que pode me machucar ou prejudicar?

Por que vou escolher repetidamente o medo?

Por que vou afastar o amor repetidamente?

Por que vou injetar heroína repetidamente em meu braço?

Por que vou escolher repetidamente um relacionamento abusivo?

Por que vou me abandonar repetidamente?

Por quê?

Porque eu não sei o que estou fazendo, não estou consciente, é só um hábito.

Quando Jesus diz “Pai, perdoa-lhes, pois eles não sabem o que fazem”, está falando sobre isso. O Pai é a consciência, a sua consciência, e ela pode ver todos os aspectos de si mesma que não estão experimentando essa grandeza.

Então aparece a compaixão,
ou o perdão,
porque não sabem o que estão fazendo.