Como a vulnerabilidade transforma nossa força interior

 

❤️Muitos de nós não sabemos o que significa amar a nós mesmos. Além de ter uma ideia vaga sobre autoconfiança, continua sendo um conceito abstrato. Muitas pessoas que aparentam ser muito confiantes não se amam de forma alguma. Eu sei disso, porque eu era uma delas. Sempre aparentava ser extrovertida, divertida e encantadora, mas essas qualidades eram a máscara que escondia minhas inseguranças, para que ninguém as notasse.

❤️ara amar a si mesmo, você deve abraçar as partes de si mesmo que rejeita. É amando essas partes – ressentimento, ciúme, raiva, vergonha, insegurança – que você se libertará delas. A verdadeira força virá apenas quando descobrir o poder da vulnerabilidade.

❤️A maioria de nós evita a vulnerabilidade a todo custo. A sociedade nos ensinou que ser vulnerável é ser fraco, mas é exatamente o oposto. Quando somos vulneráveis, estamos sendo reais, estamos mostrando exatamente quem somos. A vulnerabilidade nos permite aceitar o que é, e nesta aceitação, podemos ser mais amorosos e nos curar com a força do nosso ser.

🤍Vulnerabilidade e emoção são a linguagem do coração. Quando sou vulnerável, meu coração está aberto para dar e receber, sem se proteger com máscaras ou enganos. Ao ser vulnerável, você entra no desconhecido, solta o controle, enfrenta o medo do rejeição e prioriza sua própria verdade sobre a necessidade de agradar aos outros. A vulnerabilidade é o maior ato de amor próprio, a chave para nos libertarmos da codependência e da aprovação externa.

Quando comecei a me permitir ser vulnerável, fiquei surpreso com o que encontrei. Eu sempre fui uma mulher muito forte, com tudo sob controle, então fiquei surpreso ao encontrar dentro de mim uma criança carente, abandonada, com medo, desiludida e insegura. Cheguei a amá-la como ela era, e só então minha grandeza pôde finalmente emergir. E isso é verdade para todos nós.

💙Temos que amar essa criança interior que se esconde por trás de máscaras para proteger sua fragilidade. À luz do amor, ela se transformará em mais amor. Não tenha medo de sentir e liberar o que você escondeu ou negou: requer muito mais esforço ignorar os aspectos internos do que dar a eles amor incondicional. Aceite os aspectos de si mesmo – eles são uma parte de você e você não pode negá-los – não os transforme em algo ruim ou errado, abrace-os com honestidade e aceitação.

Com amor,
Isha Judd