Amar a si mesmo não é ser egoísta: é assumir a responsabilidade por sua própria felicidade, sua própria realização como pessoa. Mas ironicamente pensamos que é o oposto.

Egoista é não se amar. Quando você rejeita e julga a si mesmo, pensando no que está errado com você, precisa da aprovação, aceitação, reconhecimento dos outros. E isso é ser egoísta. Quando uma pessoa se ama a sua próporia presença é suficiente, é um prazer. Sua energia dá livremente aos outros, sem condições, sem necessidades, sem medo. Quando uma pessoa sente-se completo dentro de si mesmo, tudo é uma alegria.

Atenção, se amar não é alimentar o ego. O ego é aquela voz que nos convence de que tem alguma coisa errada conosco, que julga e faz a gente se sentir menos. Muitas vezes, como proteção, adotamos uma falsa atitude de arrogância e superioridade, de segurança, quando na verdade isso é apenas profundo medo e insegurança.

Essa é a loucura da experiência humana: insistimos em controlar para sofrer, para nos sentirmos vitimados. Pensamos que lutamos por amor, pela paz, mas isso não é verdade. Se estourarmos essa bolha, veremos quem naturalmente somos: paz, amor. Mas não, a gente adora controlar.

Desde crianças aprendemos a ter a nossa atenção no exterior. quando na verdade é tão importante não perder a conexão com nosso interior. É algo natural: quando você é pequeno, vive no momento, conhece o som do silêncio, ama tudo. Por quê? Porque está presente, admirando a magia, vendo a perfeição, usando todos os seus sentidos.

Todo mundo nasce gênio. Todas as crianças nascem gênios, não importa qual limitação tenham, são ilimitadas. Mas ai o que acontece? A sociedade pede para ela entrar e pertencer numa caixinha. “Sim, mas eu não me encaixo.” – “Não importa, você precisa entrar como todo mundo.” “Ah … Eu não sou bom o suficiente. “Ah, tem algo de errado comigo “… E na verdade não podemos entrar nessa caixa porque a consciência é uma sala sem paredes e é ilimitada.

Então, o primeiro passo para ser capaz de se amar incondicionalmente começa por ser honesto consigo mesmo, vendo o jeito que você realmente é, para ver e abraçar tudo. Eu não estou falando aqui de agir com amor incondicional, mas de se tornar no amor incondicional, para ser isso. Se você se abraçar incondicionalmente sentirá e será a pessoa que sempre quiz ser.

Veja mais informações no Facebook: Sistema Isha Judd
Encontre o filme da Isha Judd “Por que caminhar se você pode voar” online.
Fale com a gente pelo Whatsapp! (+598) 94 197 245

Articulo original tomado de Somos Todos UM