Isto é pura dualidade: tempo e espaço, nascimento e morte. Duas extremidades: há luz, há trevas, há medo e há amor. Essa é a ilusão e em ambos os níveis há extremos. A maioria das pessoas vive no meio, talvez você vá um pouco para cá, talvez um pouco para lá, mas a maioria vive no meio e todos esses aspectos criam nossa ilusão: nossos julgamentos, nossos medos. Tudo o que cria essa ilusão de dualidade é perfeito, é perfeitamente dual.

Para poder conhecer o amor você tem que conhecer o medo, para conhecer a direita, você tem que conhecer a esquerda, para conhecer a luz, você tem que conhecer a escuridão, tem que existir a dualidade. Para poder perceber a mortalidade tem que existir nascimento e a morte, para que exista a vulnerabilidade e a fragilidade, tem que existir toda essa dualidade. Até no reino dos insetos, tudo é dual: nascimento, morte, nascimento, morte, nascimento morte. É uma ilusão perfeita de dualidade, absolutamente perfeita. Você é perfeitamente humano, tudo está desenvolvendo perfeitamente, mas isso não é quem você é. Agora você tem que viver nesse espaço, e depois tudo começa a mudar. Então? Como você viveu nesse espaço para poder começar a desfrutar dessa incrível ilusão? Porque quando vivemos no medo e não na apreciação, no amor e gratidão, toda a magnificência e a beleza e o intrincado e a perfeição se perdem aos olhos do medo.

Uma vez que você começa a experimentar o amor, tudo começa a mudar e poderá ver beleza absoluta e simplicidade em apenas SER. Acorda feliz porque sim cada dia, porque está enfocado no amor, naturalmente você dá de um lugar de abundancia, tudo se torna importante porque você é importante e tudo é um aspecto seu.

E nem é um aspecto, porque é tudo você, porque existe apenas isso. Mas você precisa descobrir quem você é, e os julgamentos cairão e você começará a perceber o jogo. Claro que quando você está fechado no sofrimento, na perda, na angústia, na injustiça e na vitimização, todas essas coisas soam absurdas. A qualquer humano a perfeição lhe parece absurda, as pessoas odeiam essa palavra. O que você quer dizer com perfeito? “Será perfeito para você!” Uma vez que não há julgamento, é uma perfeita ilusão de dualidade.

Você é os outros, então você tem que ser isso para si mesmo. Você precisa perceber a perfeição conhecendo sua própria perfeição e sua própria perfeição é o amor incondicional de si mesmo na experiência humana, sendo perfeitamente humano e abraçando isso, da mesma maneira que você pode abraçar tudo.

Muitas coisas acontecem na natureza e temos julgamentos inclusive como isso, todas as separações são causadas por julgamentos, mas tudo está se desenvolvendo perfeitamente: a natureza da humanidade, tudo. Está é uma experiência humana e uma vez que podemos perceber isso, de um lugar de amor incondicional, então recebemos o espelho da perfeição e é aí que os julgamentos caem.

Summary
A perfeição da dualidade
Article Name
A perfeição da dualidade
Description
Isto é pura dualidade: tempo e espaço, nascimento e morte. Duas extremidades: há luz, há trevas, há medo e há amor.
Author
Publisher Name
Isha Judd
Publisher Logo